quinta-feira, 30 de abril de 2009

Problemas que eu olho e desejo


Olha, você tem todas as coisas
que um dia eu nem sonhei pra mim.
Tem A CABEÇA CHEIA DE PROBLEMAS
- NÃO ME IMPORTO, EU GOSTO,
EU AMO, EU DESEJO
MESMO ASSIM!

Tenho os olhos cheios de esperança,
são de uma cor que mais ninguém possui.
Posso afirmar que vejo coisas em você
que ninguém mais consegue enxergar;
e posso dizer que tenho sorte e privilégio de perceber isto.

Você, sua presença e sua ausência,

me traz meu passado à tona, e traz e as lembranças
de coisas que eu quis ser e não fui...
Quis ser o Homem de sua vida...
Quis saber cuidar de você...
Quis ser seu companheiro, confidente e AMANTE...
Quis ser querido e desejado por você, sempre...
Isto alimenta minha esperança,
que colorem meus olhos,
que não cansam de olhar você!


Olha, você vive tão distante,
muito além do que eu posso ter.
É assustador o abismo que me separa de você!
Posso querer ser Tarzan,
Indiana Jones, Superman...
Qualquer aventureiro que se atreva
a superar esse abismo...
Mas vou sempre esbarrar no muro
que você levanta entre nós,
um muro que vence qualquer vulnerabilidade
dos heróicos apaixonados.

Eu já pretendi ser conquistador,
capiturar todas as mulheres lindas
com as lentes de minha câmera,
beijá-las, abraçá-las,
cheirá-las, lambê-las,
colecioná-las...
Jamais desejei me ancorar em alguma,
jamais consegui explorar devidamente nenhuma,
até esbarrar e conhecer você!

E eu, que sempre fui tão inconstante,
"te juro, meu amor, agora é prá valer!"
foi o que eu lhe disse há tempos, quando
aceitei ser todo seu - inteiramente, de corpo e alma -,
caminhar a seu lado e ser seu enamorado!


"Olha, vem comigo aonde eu for"...
Eu nunca disse ou pedi isto.
Você veio porque quis e me acompanhou.


"Seja minha amante, meu amor"...
Se não disse explicitamente isto,
eu digo agora, e sempre direi.
É sincero, era e é pra valer, mesmo!


"Vem seguir comigo o meu caminho"...
É uma maneira mesquinha de traduzir
o que nós combinamos:
"Vamos seguir juntos nossos caminhos,
lado a lado, como parceiros",
e isto entendo construir, em conjunto,
vidas que se completam,
que se apoiam, que se respeitam,
que se amam.


E, "viver a vida só de amor"
pode até ser meu desejo,
mas na prática sabemos que não se aplica,
há problemas por toda a parte.
O amor ajuda a superar.

Com amor e com paixão,
problemas são apenas combustíveis,
desafios a serem enfrentados,
obstáculos a serem contornados.

Sem amor e sem paixão,
não há combustível que motive
vencer obstáculos e desafios...
Problemas cegam quaisquer olhos esperançosos.

Olha, estes meus olhos só enxergam o que eu quero ver.
É assim comigo, é assim com todos.
Se vejo paixão onde não deveria existir, então
ou desvende-se para que eu possa admirá-la,
ou retire-me a venda da esperança
para que eu seja capaz de ver o que ninguém quer ver:
a agonia de uma paixão morrendo.

Olha, posso ser cego, mas não sou insensível.
Posso ver a realidade com certa fantasia e ilusão,
mas sei também que posso não perceber
o que eu deveria ver e não vi.

Olha, você É SIM tudo isto que eu enxergo,
ainda que você não se veja assim.
Se você se acha ser O problema,
não importa, eu AMO mesmo assim,
EU LHE DESEJO ASSIM MESMO.

Eu só queria que você olhasse, mais vezes,
pelo meu ponto de vista, para se ver como eu a vejo.
Daí, quem sabe, a gente deixe os problemas de lado,
e viva mesmo a vida só de amor.

Com saúde e paixão,
podemos transformar o mundo ao redor,
podemos realizar transformação em nós mesmos,
em pessoas melhores,
podemos ter a motivação que nos falta
para seguir adiante o caminho,
nossos caminhos.

Escuta! Sinta! Olha!




Melodia:
Olha
(com Gal Costa)

Letra:
http://letras.terra.com.br/roberto-carlos/48655/

Música:
Olha 1976 com a voz de Roberto Carlos e o sax de Paulo Moura (5:34)
http://www.youtube.com/watch?v=1fa9C8B5ff8



8 comentários:

Nathália Monte ;D disse...

gal costa é o cara..
beijO chuchu

Luciana disse...

Muito bonito esses seu texto-poesia...
Sentimental, sensível, uma bela reflexão no que se refera às emoções, sejam elas físicas ou psicológicas.

Beijos!

©tossan disse...

Andre, você me deixou emocionado com o teu comentário. Obrigado.
Amigo você nem imagina como esta música marcou a minha vida! Abraço

Astrid disse...

André, esta foi de gênio. Clap! Clap! Clap!
beijos, flores e estrelas*****

Sandra S. disse...

Olá André ! Não sabia onde comentar, então vim neste, porque adoro música (:

Fico muito feliz por teres gostado do meu cantinho!
Quanto ao "S", sim é associado a (Sun)shine, ao meu nome, Sandra, e também ao super-homem...mas não por ter alguma admiração pelo personagem, mas sim, por causa deste techo que encontrei num livro, há pouco tempo atrás :

"Não há heróis. Todo gigante encontra obstáculos que o transformam em criança.
Basta esperar”.
Augusto J. Cury - O Vendedor de Sonhos

Foi uma maneira de me lembrar sempre disso :)

Seja sempre bem vindo!
Grande beijinho,

Sun.

Andre Martin disse...



Sandra S.:

Obrigado por comentar um dos meus blogs. Na dúvida, comente em todos! hahahaha


Sobre sua ponderação sobre heróis e super-heróis, ela faz sentido. Fui resgatar outras "verdades heróicas":

"Melhor ser um covarde vivo do que um herói morto!"
(Mesdre)

"Há muita sabedoria nos atos covardes: saber a hora de dar no pé, retiradas estratégicas, etc, é muito sábio!!!"
(Mesdre)

"A História mostra que os verdadeiros heróis são os que foram mais covardes, e que por alguma circunstância inevitável, foram forçados a agir (enquanto a maioria não) e os que deram sorte acabaram por se diferenciar, tornando-se assim, heróis!"
(Mesdre)

"A força está em demonstrar que tens fraquezas."
(Iara Alencar)

"A força (dos outros, contra nós) existe para demonstrar que temos fraquezas."
(Mesdre)

"Se tiver consciência de suas fraquezas, também terá de seus poderes"
(Marcelo Dalla) - http://www.destakjornal.com.br/seccion.asp?ref=17

"A melhor maneira de anular um vilão/inimigo é alimentá-lo no seu ponto mais forte, que também é seu ponto mais fraco."
(Mesdre)

heróis e vilões:
cidade > cidadão,
aldeia > aldeão,
vila > vilão


Astrid disse...

André,


Well, well... tudo azul aí do outro lado do nosso oceano?

Estava aqui a pensar em desaparecidos em combate, que podem ou não retornar, e eis que surge o comentador André Martin! Gostei! Obrigada, valeu! Teus comentários são geniais e sempre bem recebidos e absorvidos. :)

Beijos, flores e estrelas*****

Astrid disse...

André, caríssimo, tendenciosamente ou não... apenas por enquanto, não quero nunca renunciar àquela certa liberdade deliciosa de me enganar... ;)
beijos, flores e estrelas *****